terça-feira, 5 de agosto de 2014

A arte comestível de Artur Cabral

Fomos conhecer o Artur Cabral no Porto. Apesar de há vários anos fazer bolos, que personaliza ao sabor do briefing que recebe quem o procura, só recentemente começou a divulgar mais esta sua arte, sendo muito recente a sua página do Facebook à disposição de todos.

Da nossa conversa, resulta palpável o entusiasmo e a dedicação do Artur a cada um dos seus projectos fazendo deste seu talento, a sua Arte Comestível.



Quem está por trás dos Bolos Personalizados por Artur Cabral?
Estou eu! Chamo-me Artur Cabral, tenho 42 anos, sou pai de um filho fantástico e sou um apaixonado pela área do Cake Design. Este é um projecto pessoal que há muitos anos eu ansiava e que actualmente acumulo com o meu trabalho a tempo inteiro na área da hotelaria e restauração…

Como chegou até ao mundo dos bolos?

Sorrio sempre que me fazem esta pergunta… é uma longa história! Sempre cozinhei e fiz doces junto com a minha mãe…Sempre fui guloso e por isso o mundo dos bolos e doces sempre me acompanharam… O que aliado à procura do belo, do agradável aos olhos, deu o resultado à vista! Lembro-me de quando era criança e frequentava a casa dos meus amigos nos seus aniversários, alguns tinham bolos simplesmente fantásticos. Recordo-me de um em especial, uma arca do tesouro, com jóias, moedas, barras de ouro e eu via aquilo e ficava deslumbrado! Vinha para casa e queixava-me à minha mãe que nunca tinha tido um bolo daqueles, assim bonito na minha festa de anos, só bolos banais de confeitaria! O que agora aos olhos de adulto compreendo, pois os meus pais tinham um negócio muito sazonal (Natal) e eu como faço anos em Dezembro não havia muito tempo para “bolos”… Quando comecei a ganhar o meu próprio dinheiro como programador de computadores (a minha primeira área) e como era fanático por Inglaterra (e ainda sou!) visitei a livraria britânica, ainda ali na rua de José Falcão (Porto) e deparei-me com um livro de Cake Design. Ainda hoje adoro esse livro que está como novo, aliás como todos os livros que tenho, pois para mim um livro é um amigo. Ficava horas a olhar para os bolos, a tentar traduzir o que lá vinha escrito… Estava próximo do meu aniversário e resolvi fazer um dos bolos que o livro mostrava. Não percebia nada de Cake Design… Ainda não havia cá pasta de açúcar e por isso fiz em massapão, pois mesmo os ingredientes para fazer a pasta de açúcar em casa eram difíceis de encontrar, não era como agora… Mas meti mãos ao trabalho e saiu o bolo da mesa de fast-food. Por isso quando criei a página dos “Bolos Personalizados por Artur Cabral”, coloquei esse bolo como foto de perfil… A partir daí nunca mais fiz um bolo “normal” em casa para um aniversário ou festa…


Porquê o nome Bolos Personalizados por Artur Cabral, e porque não uma marca diferente?

Primeiro criei uma página pessoal no Facebook onde o propósito era publicar os meus bolos, por incentivo de uma amiga muito querida… E como página pessoal tinha o meu nome. Fui criando uma rede de “amigos” de bolos e seguidores, que me aconselharam, por razões que agora não vêm ao caso, a criar uma página como Produto, só de bolos e afins. Quando criei a nova página, também pensei em mudar para um nome mais comercial. Desisti!... Todos me conhecem por Artur Cabral – Bolos Personalizados e é assim que vai ficar. Mas com uma alteração: Bolos Personalizados por Artur Cabral… Para já fica a mesma imagem mas também isso vai mudar proximamente… O que não muda é a vontade de estar na cozinha, entre ovos, farinhas, açúcares, compotas e todas as sobremesas que me pedirem….

Há quanto tempo faz bolos decorados?

Faço desde 1992. Pena não ter fotos de todos os bolos. Umas porque não tirei, outras porque não as encontro… Ainda devem estar em casa dos meus pais! Sabe que há 20 anos não havia máquinas digitais. Algumas fotos que tenho na página pessoal são digitalizações caseiras das fotos em papel fotográfico. Por isso algumas estão com má definição, mas não me envergonho delas…

Qual o pedido mais estranho que já lhe fizeram?

Por estranho que pareça não tenho assim muitos pedidos estranhos… Os bolos às vezes é que podem parecer estranhos para quem não está dentro da história que eles contam…

O que mais gosta de fazer nesta área?

Decorar!... Às vezes nem sei como vai terminar um bolo. Cobrir o bolo e ir decorando ao sabor do momento por vezes para mim é óptimo… Claro que depois há aqueles (a maioria) que precisam de um croqui, de uma linha de pensamento… Mas adoro decorar ao sabor do momento, sem dúvida…

Qual as maiores dificuldades que sentiu ao longo dos tempos?

Fazer ver às pessoas que isto é arte comestível!... Come-se mas não deixa de ser arte, a que deve ser dada o devido valor… Não podemos fazer o mesmo preço que uma confeitaria (e eu já trabalhei numa!) em que o tempo de decorar um bolo desde que arrefece até ser recheado, coberto e decorado e estar na montra de exposição demora 20 minutos ou menos… Cada bolo é personalizado, criado para o cliente com amor e dedicação. Às vezes o tempo de pesquisa, de desenho e concepção, de compra de materiais é grande mas por norma não cobramos esse tempo. E depois os materiais, os cursos e workshops para fazer esta arte são caros… E isso têm de ser custos diluídos no preço a cobrar ao cliente…

Quais as maiores alegrias?

Pode parecer um cliché, mas é mesmo a cara de surpresa do cliente… Aqui há dias tinha um bolo para entregar e a cliente telefonou a dizer que não seria ela a vir buscar o bolo, que viria um familiar, mas que só poderia vir a uma hora em que eu já não estava em casa, tinha de ir trabalhar. Foi a minha esposa a entregar… Fiquei duplamente desiludido. Não iria ver o que mais me satisfaz neste ofício!

Se tivesse que escolher um bolo ou um tema especial dos que já fez, qual destacaria? e qual a história por trás desse trabalho?

Não consigo destacar só um!... Destaco o primeiro bolo que fiz, pela história que já contei anteriormente e destaco o bolo do primeiro aniversário do meu filho, o barco, que ele adorou e foi uma surpresa… Quando chegou à sala onde estava o bolo e viu que fui eu que fiz, olhou para mim, sorriu e suspirou com um olhar doce… Foi mesmo reconfortante. Destaco ainda o bolo do waffle com gelado, pois foi o início de uma nova era na minha paixão pelo Cake Design…


Tem um instrumento preferido?
Tantos! O nivelador, o alisador, as estecas, os moldes de silicone… Não sou capaz de dizer UM instrumento preferido… São todos!

Na sua cozinha ou atelier, nunca falta...
Vontade de aprender e criar novos desafios.

O que o diferencia no mercado?
A busca pelo requinte e elegância, o pormenor e a minuciosidade de alguns dos meus trabalhos… Tentar não fazer o óbvio!

Que bolo gostaria de fazer que ainda não fez?
Tantos!...

Aqui ficam mais algumas obras da sua arte:




Obrigada Artur pela alegria contagiante com que nos levou a conhecer o seu mundo!

Happy Baking!

Sem comentários:

Enviar um comentário