quinta-feira, 24 de julho de 2014

Um vício cheio de bom gosto: os Bolos por Gosto!


Desta vez quis o destino que fôssemos até Vila do Conde... e como o ditado diz "quem corre por gosto não cansa", fomos comprovar que quem faz bolos também não!
E assim começou a nossa conversa com a Bolos Por Gosto:

Quem está por trás da Bolos por Gosto?
Sou a Paula Lobo, tenho 45 anos, sou casada, mãe de dois filhos e vivo em Vila do Conde. Sou licenciada em Educação Física, e neste momento ainda sou professora.



Como chegou até ao mundo dos bolos?
A minha mãe, apesar de excelente cozinheira, não gostava de fazer doces e assim essa tarefa ficava para mim, mas longe de mim imaginar que um dia se transformaria no que é hoje. O meu primeiro contacto com a pasta de açúcar, foi no aniversário da minha filha, em 2007. Decidi que ia decorar o seu bolo de aniversário com pasta de açúcar e devo dizer que foi uma grande aventura, pois não tinha formação alguma, e os conhecimentos que tinha eram através da Internet e de uma amiga que já decorava bolos com pasta de açúcar. O bolo foi elogiado por todos e a minha filha adorou, isto fez com que eu não parasse mais; a partir desta data comecei a decorar os bolos dos aniversários cá em casa e para a família. Este mundo do açúcar é sem dúvida um doce vício e quem começa dificilmente consegue parar, foi o que me aconteceu a mim. Com o passar dos tempos alguns amigos começaram a pedir para lhes fazer bolos, demorei algum tempo a aceitar, mas quando aceitei o primeiro bolo, não mais parei !!! Entretanto fui fazendo formação nesta área (que continuo a fazer) com vários cake designers nacionais e internacionais.

Porquê o nome Bolos por Gosto?
Quando comecei a fazer bolos para os amigos e para os amigos dos amigos, houve necessidade de mostrar o que fazia, aí surgiu a ideia de criar um blog, onde colocasse as fotos dos meus bolos de forma a simplificar a sua visualização. O meu marido criou o blog e é até hoje o responsável pelas publicações do blog. Entretanto foi necessário dar um nome ao blog, e aqui a responsabilidade foi do meu filho mais velho, que achou que devia ser Bolos por Gosto, porque realmente eu faço os meus bolos porque gosto, e assim ficou o nome até hoje de Bolos por Gosto.

Qual o pedido mais estranho que já fizeram à Bolos Por Gosto e qual a história por trás do pedido?
Pedido estranho acho que nunca tive, no entanto já tive vários bem complicados e elaborados. Realçoum dos últimos bolos de casamento que fiz, que foi um verdadeiro desafio para mim. O pedido foi-me feito com apenas uns 15 dias de antecedência, e o bolo era de andares e todos eles trabalhados com drapeados e imensas flores. Durante uma semana fiz variadíssimas flores; ainda tentei contá-las mas foi impossível, só consigo dizer que estas ocupavam a mesa da minha sala (1,50m por 1m). Apesar de ser uma verdadeira aventura para mim este bolo, não podia ficar mais satisfeita com o resultado final e melhor ainda é que os noivos adoraram.




O que mais gosta de fazer nesta área?
Adoro idealizar o bolo e os restantes doces que o acompanham ( cupcakes, cakepops, bolachas, macarons, chupas de gomas, colheres de chocolate….), e ter a liberdade de, mediante um fio condutor, poder criar o produto final. Se pudesse, com o bolo faria sempre pequenos doces para o complementarem.




Qual as maiores dificuldades que sentiu ao longo dos tempos?

No início as minhas dificuldades foram essencialmente não ter onde comprar material, ter pouco acesso a formação específica (parecia-me que toda a formação com interesse estava em Lisboa) e não ter outras pessoas da área com quem partilhar ou conversar. Neste campo atualmente tudo mudou para melhor.

Neste momento a maior dificuldade, é a valorização e o respeito por quem faz este tipo de bolo. A maior parte das pessoas não imagina o que está por trás de um bolo decorado, não faz a mínima ideia do que se passa até ao produto final… desde as horas passadas a conversar com o cliente, as horas de pesquiza e planificação do bolo, o tempo para responder a todas as mensagens e emails, o tempo gasto na aquisição de materiais e só muito depois é que vem o tempo gasto na confeção e decoração do bolo. Quem não conhece nem entende esta faceta dos bolos decorados depois tem alguma dificuldade em compreender e aceitar o seu preço final.

Quais as maiores alegrias?

É ver a reação de quem recebe o bolo ou então receber uma mensagem ou email de agradecimento. Para mim, esta é a confirmação de que vale a pena continuar e que todo o esforço é recompensado. 

Se tivesse que escolher um bolo ou um tema especial dos que já fez, qual destacaria? e qual a história por trás desse trabalho?
Adoro criar bolos de casamento ou bolos para crianças; sem dúvida que estas são as minhas preferências. É difícil destacar apenas um, pois adoro tudo o que faço e o empenho que coloco em cada bolo é sempre o mesmo. No caso do bolo de casamento sem dúvida que destacaria o que falei anteriormente pelas razões já ditas. Quanto aos bolos para crianças, escolher um é difícil…escolho no entanto um que foi feito para uma menina, que apenas teve como exigência que o bolo tivesse os Little Ponny e que estes pudessem ser comidos por ela, foi a única vez que me foi feito este pedido, pois normalmente as crianças não querem que os bonecos sejam comidos. Além disto o bolo foi decorado com folhos coloridos, que apesar de muito trabalhoso, é uma das técnicas que mais gosto de utilizar nos bolos.



Tem um instrumento preferido? Na sua cozinha ou atelier, nunca falta...
Na minha cozinha nunca falta a batedeira, o rolo da massa e a minha faca. Um dos meus instrumentos preferidos é esteca de flores/folhas, a sua utilidade é infinita!!!

O que diferencia a Bolos por Gosto no mercado?
Como adoro comunicar, lido com os meus amigos/clientes, de uma forma muito próxima, estou sempre disponível para conversar e tirar todas as dúvidas e orientar os seus desejos para o melhor resultado possível, tornando assim a sua festa inesquecível.
Penso que aquilo que me distingue é poder disponibilizar um bolo personalizado, aliando o lado estético ao paladar; assim como fazer uma variadíssima gama de pequenos doces ( cupcakes, cakepops, bolachas, macarons…) para ofertar aos convidados do evento ou para complementar e tornar mais bela e doce a sua mesa.

Não está em Lisboa, sente diferença por isso? Há um maior sentimento de proximidade por estar num meio mais pequeno e às vezes não tão grande?
Na realidade neste momento não sinto esta diferença. Vila do Conde, apesar de um meio pequeno, é muito central, perto do Porto, Guimarães e Braga, o que faz com que abranja uma grande área. Não mudaria neste momento, estou bem aqui!

Obrigada Paula, pelo bocadinho que nos mostrou do seu trabalho e com ele a cidade de Vila do Conde!

Aqui ficam mais alguns trabalhos da Bolos por Gosto!






Happy Baking!

Sem comentários:

Enviar um comentário