quarta-feira, 30 de julho de 2014

Como não cortar o bolo de noiva! Ou o bolo dos noivos!



Cada vez mais cortar o bolo dos noivos ou o bolo da noiva, é uma cerimónia à parte, com rituais, com grande destaque no dia do casamento, sendo um dos momentos altos da festa. Simboliza várias coisas, entre elas a fertilidade do casal, o primeiro acto conjunto como marido e mulher, e o início da sua nova vida juntos. É também uma excelente oportunidade para as fotografias dos noivos e normalmente são daquelas fotografias que todos querem ver.
Para as Cake Designers, é um privilégio, mas também uma grande responsabilidade desenhar, confeccionar e criar o bolos dos noivos.

Um pouco de história:
A tradição de cortar o bolo em conjunto nasceu mais por necessidade do que por outra razão qualquer. Antigamente, os bolos de noiva eram bastante mais duros e mais pesados, e a cobertura muito mais rija do que os tipos de cobertura que se usa hoje em dia. Era aqui que o marido entrava, dando uma ajuda com a sua força para que conseguissem cortar a dita fatia. Graças a Deus, nos dias que correm os bolos de noivos são muito mais fofos e fáceis de cortar mas a tradição manteve-se.
Passando ao presente e para o futuro, aqui ficam algumas dicas sobre o que não fazer quando for a hora de cortar o bolo!

1. Não começar pela camada de cima (a menos que o resto seja em maqueta):
As camadas perdem estabilidade à medida que se vai subindo, por isso se não quer fazer figuras tristes ou cómicas nesta altura do campeonato é de evitar começar no topo se o bolo tiver vários andares. Claro que se o resto do bolo for em esferovite, este perigo não se coloca porque a estabilidade está garantida. Às Cake designers o que se pede é que informem os clientes devidamente para não haver azares e que no caso de montarem um bolo de vários andares o montem com solidez e conscientes de que é um perigo real o bolo poder desmoronar ao mínimo toque se não tiver uma estrutura adequada ao peso!





2. Tenham maneiras!:
Quando forem dar a primeira dentada no bolo, usem o garfinho que os senhores que servem, simpaticamente vos puseram á frente! Evitem usar os dedos e as mãozinhas! Fica mais bonito na fotografia, é mais delicado e não ficam com ar de homens das cavernas. Além disso elimina qualquer tentação que possa haver de querer esborrachar o bolo na cara do outro!




3. Não esborrachar o bolo na cara do outro! ( a menos que queira mesmo e tenham combinado):
Acreditem ou não há essa tentação e há quem ache graça, mas na dúvida o melhor é não o fazer, porque é um momento registado para a posteridade em filme e/ou fotografia, os olhares dos convidados estão todos virados para os noivos, e depois da fortuna gasta no bolo, na maquilhagem, no vestido, etc. especialmente a noiva e a família dela não vão achar grande piada á brincadeira!





4. Não tornar este momento uma chatice!
Se vão cortar o bolo, os noivos ou alguém por eles, assegure-se de que os convidados foram alertados, que os noivos estão presentes, e pode até haver uma cerimónia ou uma música para o momento, mas não arraste a coisa de forma a que se torne desinteressante e entediante, que depois do trabalho todo que quem fez o bolo teve, merece que seja visto por todos e saboreado pelos noivos com a devida importância.

5.Não atrasar muito o corte do bolo:
Antigamente o bolo era cortado tradicionalmente no fim do casamento, a que se seguia os noivos irem trocar de roupas e todos assistiam à sua partida. Hoje em dia já quase não é assim e tanto há bolos que são servidos logo a seguir ao jantar e que servem de sobremesa, como bolos que são cortados ligeiramente mais tarde, antes ou depois da abertura da pista para dançarem pela noite fora. Seja qual for a opção, não se deve atrasar muito a abertura do bolo, para que possa ser gozada devidamente. Também não é grande opção fazê-lo quando as danças já vão a meio porque implica parar a música, pararem de dançar e por vezes dispersam-se os convidados e começam a ir embora. O ideal nesse caso é combinar com o DJ uma música para o bolo e de seguida uma daquelas músicas que ponha toda a gente a mexer!

6.Não se esqueçam de comer:
Depois de tanto trabalho a fazer o bolo, o mínimo que se pode esperar é que os noivos o provem, comam e saboreiem… mas muitos há que estão tão ocupados com os deveres de protocolo, cumprimentos, e afins, que se esquecem ou nem conseguem provar o próprio bolo…. Ás vezes nem jantar ou almoçar. Gozem o momento, que ele não volta atrás. Há também noivos que congelam partes do bolo para o primeiro aniversário, ou que o guardam para mais tarde… congelar o bolo por um ano não é grande ideia, deteriora o sabor e se é pela tradição tudo bem, mas se é para recordar o dia, mais vale pedirem um bolo à mesma cake designer que vos lembre o do vosso casamento, mesmo que seja em miniatura.

7.E se em vez do corte, fosse um beijo?
Há uns anos atrás, a noiva costumava beijar o noivo junto de um “croquembouche”. Trata-se de um bolo francês, como os da Ladurée, que consiste numa torre de profiterolles ou de macarrons, e dizia-se que se os noivos não estragassem o bolo durante o beijo, isso significava prosperidade para o casal. É sempre uma sugestão original que se pode dar aos noivos para fazerem do momento do bolo um momento original mas como classe.






8. Não se sentir pressionado:
Há casais que não querem ou não gostam da história do bolo de noivos e não querem sentir-se obrigados a fazê-lo! Pois não vale a pena insistir, pode na mesma haver bolo de noivos e não haver a referida cerimónia, sendo apenas servido aos convidados como forma de delicadeza e agradecimento pela sua presença neste dia especial. Ou até pode não haver bolo de todo, é o dia dos noivos, eles é que devem saber o que lhes é ou não importante. Mas também não poderão estranhar que os convidados estejam à espera do tal momento, dado que é de facto um dos momentos-chave do copo d’água actualmente.

Para fechar este artigo inspirado num da Sarah’s Stand, deixamos alguns bolos de casamento de artistas portuguesas:




Happy Baking!

Sem comentários:

Enviar um comentário