sexta-feira, 4 de julho de 2014

Cakes by Anabela Ventura!

Há artistas de quem se reconhece o trabalho pelo estilo adoptado ser muito característico, por ter traços marcantes, linhas definidas, um caminho estabelecido. Em Portugal ainda não é muito vulgar artistas adoptarem estilos tão distintos, o nosso mercado não é muito grande, as margens são pequenas, e sendo uma opção corajosa, nem todos se conseguem manter fieis a um determinado estilo. O caso da Anabela Ventura desperta a atenção de qualquer um que passe pelo seu trabalho. Goste-se mais ou menos, é uma escolha que demonstra um espírito livre que dá largas à sua criatividade através de cada obra que cada bolo seu, é. Venham conhecer a Anabela Ventura.


Quem é a Anabela Ventura? 
- Sou uma lisboeta de 38 anos, secretária de administração de profissão, com um filho de 13 anos. A música é uma das minhas paixões e fazer bolos é outra.
Como chegou até ao mundo dos bolos? 
Foi em 2008, quando precisei de alguém que me executasse um bolo de aniversário com as minhas ideias. Na altura não se viam bolos assim por cá, eu queria um bolo com o tema do The Nightmare Before Christmas (O Estranho Mundo de Jack, na versão portuguesa) e, de todas as pessoas que encontrei na altura, apenas uma me fez ficar entusiasmada para avançar com a encomenda: foi a Cristina Arévalo, ela é a grande responsável por eu me ter começado a interessar pelo mundo do Cake Design.
Em 2009 comecei a comprar os primeiros materiais e, a pesquisar informação e tutoriais sobre a decoração de bolos com pasta de açúcar. A primeira experiência correu bem e, a partir daí o amor por esta arte foi crescendo.
Usa apenas o seu nome, ou tem uma marca ou empresa sua? Se sim, qual? 
Apesar de já fazer bolos desde 2009, só criei uma página em 2012. Não queria usar frases ou expressões cliché e, por isso, acabei por usar somente o meu nome: e porque não? Uma vez que pretendia criar um estilo meu, porque não associar apenas o meu nome? Assim ficou. Ainda não constituí empresa, mas espero um dia reunir condições para o fazer.
Qual o bolo mais estranho que já lhe pediram? 
- Até hoje não tive pedidos estranhos. Cada pedido é muito especial para mim e, se um dia me chegar um pedido estranho, cá estou para embarcar nisso e tentar fazer o melhor que sei e que posso.
O que mais gosta de fazer nesta área? 
- Na verdade, uma das coisas que mais me motiva é o desafio de perceber exatamente o que a pessoa que faz a encomenda imagina. Porque cada pedido traduz um desejo, um pequeno sonho de alguém. E isso exige pesquisa e tempo para olhar para aquele monte de açucar e pensar como é que vou dar forma a uma solicitação que chega na forma de palavras, mas que eu preciso de transformar em algo que seja visível e comestível. Aprendo imenso: já fiz bolos cujo tema era uma banda que não conhecia ou de bonecos animados que nunca ouvira falar. Para mim é uma aprendizagem permanente. E claro, o que mais gosto é mesmo ver os olhos a brilhar e a satisfação das pessoas ao abrirem a caixa.
Quais as maiores dificuldades que sentiu ao longo dos tempos? 
- A maior, sem sombra de dúvidas, é a parte financeira. Os Workshop’s mais específicos e os master’s têm preços proibitivos para mim que sou uma família monoparental. O meu quotidiano é muito exigente e, claro, priorizo as necessidades familiares, por isso, com grande pena minha a formação tem ficado para trás e a minha evolução tem sido mais lenta do que desejaria.
Quais as maiores alegrias? 
- As reacções das pessoas para quem faço os bolos. Só mesmo isso é que me faz esquecer as noites em claro a trabalhar, o cansaço, o desespero das horas a passar, os quilómetros percorridos até à entrega do bolo e todo o caminho a pensar como serão as reacções. E, por fim, a sensação de dever cumprido e uma sensação de alívio porque adoraram e, dias depois, ainda falam nisso e no sucesso que fez nas festas.
E esse reconhecimento do trabalho, não tem preço.
Se tivesse que escolher um bolo ou um tema especial dos que já fez, qual ou quais destacaria? E qual a história por trás desse trabalho? 
- Todos os que fiz são muito especiais e todos têm uma história. É dificil escolher entre todos, mas destaco o bolo de aniversário dos 20 anos de uma banda amiga, os D E S I R E, que adorei fazer. O bolo de Slayer, cuja inspiração passou por ouvir vezes sem conta os álbuns e ver os vídeos e eu, que não gostava muito da banda, de tanto ouvir lá encaixou. Também o bolo da Pin Up cujo tema adorei e continuo a explorar. Nos temas infantis destaco o da princesa Valéria porque foi o primeiro bolo “boneca” que fiz. Como não queria usar uma boneca convencional ou de tamanho normal optei por comprar uma boneca ligeiramente maior e com madeixas cor-de-rosa que era a cor preferia da menina e penso que resultou muito bem.

Tem um instrumento preferido? Na sua cozinha ou atelier, nunca falta.... 
- O meu amarelo como lhe chamo (O X-acto da PME) dá um jeitão, adoro-o! Tenho de ter sempre reserva de lâminas novas.
O que diferencia e o que pode esperar quem procura a Anabela para a confecção de um bolo? 
- A certeza do empenho, dedicação, amor, carinho que dedico a cada projecto que faço.
Que bolo gostaria de fazer que ainda não fez? 
Ui! Tantos.... De algumas bandas que gosto, alguns mais específicos de Halloween, a lista é enorme.
A Anabela tem adoptado um determinado estilo, pretende fazer dessa linha a sua imagem de marca?
- Sim, tenho adoptado um estilo que gosto bastante. Não é segredo para ninguém que o meu género de música favorito é um estilo mais pesado. Utilizo como inspiração o que vejo quando vou a concertos ou quando vejo vídeos de determinada banda; estou sempre a pensar no que posso tirar dali para colocar num bolo: seja um excerto de uma letra (como o posso interpretar e transformá-lo em bolo), ou um acessório que determinado músico tenha e como o posso adaptar. Uso sempre o mesmo método para elaborar o projecto de um bolo, independentemente do tema: olhar sempre para aquilo que me rodeia, para as pessoas que me acompanham e para quem faço os bolos.
Aqui ficam mais alguns bolos da Cakes by Anabela Ventura:





Obrigada Anabela pelo carinho que transmite nas suas criações, e o entusiasmo com que nos acolheu.
Happy Baking!

Sem comentários:

Enviar um comentário